Política de Cookies TICNOLOGIA - Directiva Europeia - EU e-Privacy Directive

Este website utiliza cookies na gestão de autenticações, navegação e outras funcionalidades que lhe disponibilizam uma melhor experiêcncia de utilização. Ao utilizar o nosso website, você aceita que nós coloquemos este tipo de cookies no seu dispositivo.

Visualizar toda a documentação sobre o e-Privacy Directive

Home Notícias Negócios PT debate IPv6 e prepara chegada da nova versão do protocolo de internet


PTA Portugal Telecom apresentou hoje a sua estratégia para a implementação da nova versão 6 do protocolo IP, que garantirá a continuidade e desenvolvimento da internet no seu todo. O rápido crescimento da Internet a nível mundial está a criar o seu maior desafio: que este crescimento seja garantido sem grandes descontinuidades.

 

 

Brevemente, o número de utilizadores que acedem à internet e o número de websites gerados irá acabar por exceder o número de endereços IP existentes, pelo que a introdução de um novo protocolo de IP tornou-se um imperativo.

A Portugal Telecom assume hoje o seu compromisso em relação à introdução do IPv6 em todas as suas infra-estruturas de rede, garantindo uma cobertura total da sua rede no 2º semestre de 2011 e anunciando o início de uma Fase Piloto dirigida ao segmento empresarial.
Para suportar esta fase piloto, a Portugal Telecom criou uma rede IPv6 específica e irá desafiar os seus clientes empresariais para testar a interligação das suas infra-estruturas Web em ambiente IPv6 nativo, assim como a total compatibilidade com a actual versão IPv4.
Estão igualmente já disponíveis para acesso, as versões IPv6 do site da Portugal Telecom –
http://ipv6.telecom.pt/ – e da homepage do portal Sapo – http://ipv6.sapo.pt/ – assim como uma nova página onde se poderão encontrar todas as informações sobre este tema: www.telecom.pt/ipv6.
A transição do IPv4 para o IPv6 é um desafio mundial, de todos os utilizadores, organizações reguladoras da actividade na Internet, entidades públicas, operadores de telecomunicações e fornecedores de equipamentos. Todos os intervenientes do mercado serão impactados por esta mudança, e devem assegurar uma transição suave entre plataformas, sendo que com os desenvolvimentos apresentados hoje pela PT, Portugal será um dos primeiros países do mundo a implementar uma rede IPv6, a par do Japão, China e Coreia do Sul.
 
 

Como se irá fazer esta mudança?

 

Esta mudança implicará actualizações e alterações nas redes de telecomunicações, sendo a principal a adaptação de todos os equipamentos de modo a que fiquem habilitados a encaminhar pacotes de dados endereçados tanto em IPv4 como em IPv6 (estratégia que se vem designado de dual-stack). As empresas e entidades em geral desempenham um papel crucial nesta mudança, pois enquanto gestoras de websites e de conteúdos on-line, terão de garantir a sua continuidade e disponibilização a todos os utilizadores. Para tal é fundamental que atempadamente contactem o seu fornecedor de internet e analisem os seus sistemas informáticos e as suas infra-estruturas de rede, assegurando a inventariação e planificação das acções necessárias à introdução do IPv6 nas respectivas organizações, tanto ao nível de equipamentos, como, se também fôr o caso, ao nível do acesso a conteúdos públicos.

 
Quanto ao utilizador comum não terá de se preocupar pois a sua experiência de navegação vai manter-se inalterada, desde que as empresas responsáveis pelos sites que visitam façam a migração dos seus sistemas, garantindo assim que os conteúdos pelos quais são responsáveis ficam acessíveis a partir de endereços IPv6. Terão apenas de assegurar, junto do seu fornecedor de internet, que o seu actual router de acesso à Internet venha a suportar endereçamento dual stack, ou seja, que permita a consultas a sites que estejam em qualquer das duas versões. A Portugal Telecom já aprovou e irá brevemente começar a disponibilizar routers com estas características, pelo que esta transição terá efeitos mínimos sobre os nossos clientes.

 

 

Bolsas

Online

Temos 168 visitantes em linha